Phishing

Phishing é uma burla por email, pela qual os burladores enviam emails a indivíduos e afirmam ser de uma organização confiável, como instituição bancária ou provedora de serviços de email.

O email tentará enganá-lo a fornecer informações de conta por várias razões, tais como necessidade de actualização ou validação das suas informações de conta, pedindo-lhe que clique num link ou icon incluído no email. Quando clicado, o link lançará um website falso que parece um website real. No website, ser-lhe-á solicitado que partilhe as suas informações da conta bancária pessoal, como nome de utilizador ou palavra-passe do seu perfil de banca online ou conta de email, ou até o seu número de celular e detalhes do cartão bancário. Quaisquer informações que partilhar no website falso serão capturadas pelos burladores e então usadas pare lhe defraudar.

 Como identificar uma fraude phishing

Há sempre um sentido de urgência no email, seguido de uma ameaça — a suspensão da sua conta bancária, por exemplo — e solicitam-lhe que responda rapidamente. Isto não lhe dá muito tempo para pensar na situação em mãos e falar com pessoas de sua confiança.
O email indica que você foi vítima de fraude, ou que recebeu fundos, e que deve fazer log in das suas contas ‘aqui’ para reportar o incidente e cancelar o seu cartão bancário, ou dar autorização para libertar a quantia de dinheiro.
Solicitam-lhe que indique os seus detalhes pessoais e de conta via um hyperlink, anexo ou icon providenciados no email.

Eventos e Responsabilidade Social

Standard Bank realiza segunda edição da Corrida Azul

Os atletas Albertino Mamba e Zeferina Marinho sagraram-se, no sábado, 18 de Agosto, vencedores da segunda edição da Corrida Azul, promovida pelo Standard Bank no âmbito da sua responsabilidade social corporativa, associada às celebrações dos 124 anos da sua implantação em Moçambique.

Colaboradores do Standard Bank apoiam Infantário da Matola

Colaboradores do Standard Bank realizaram, no sábado, 25 de Agosto, uma acção de beneficência no Infantário da Matola, na província de Maputo, que consistiu na pintura dos dormitórios, limpeza e doação de roupa, calçado, material de higiene e limpeza, bem como produtos alimentares não perecíveis.